SAÚDE MENTAL: UM RELATO DE VÍTIMAS DE INJUSTIÇA NA ATIVIDADE LABORAL

Caroline Cordeiro Cunha, Wiliam Azevedo Dunnningham

Resumo


Introdução: A saúde mental tem emergido como uma importante questão de saúde pública e é inegável sua relação com o estresse que a atividade laboral carrega. Objetivo: Analisar a relação que se faz entre adoecimento psíquico e o trabalho, descrevendo o impacto do estresse laboral e a reintegração arbitrária na vida das vítimas, já que há poucas pesquisas sobre o tema e muitos profissionais têm que se afastar por incapacidade temporária de suas funções nas organizações onde trabalham, e podem ter um retorno precoce e insatisfatório às suas antigas atribuições. Métodos: Foi realizada entrevista semi-estruturada com esses indivíduos para se proceder à analise de conteúdo do relato deles acerca do sentimento de injustiça de que são tomados por terem adoecido, em parte, pelas condições inadequadas e terem que retornar involuntariamente aos seus postos de trabalho. Resultados: Observou-se nos conteúdos das entrevistas que todos os pacientes passaram por situações de estresse laboral e previdenciário que produziram neles sentimentos de injustiça, que implicaram prejuízos no convívio social e funcionalidade. Conclusão: Os relatos revelam sentimentos negativos(injustiça, tristeza, raiva e revolta) pelas condições estressantes de trabalho que contribuíram para seus respectivos problemas de saúde  e suas reintegrações arbitrárias.


Palavras-chave


Saúde mental; Injustiça; Atividade laboral

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


APOIO

Revista Brasileira de Neurologia e Psiquiatria. ISSN: 1414-0365