ESTRABISMO CONVERGENTE COMO SINAL DE HIPERTENSÃO INTRACRANIANA EM NEOPLASIAS ENCEFÁLICAS

Carlos Frederico Almeida Rodrigues, Hariane da Silva Carvalho, Julia Ito, Santiago Cordeiro Carlet, Tatiana Marangon Pereira, Eduardo de Souza Pessoa Junior

Resumo


Objetivo: Este trabalho possui o objetivo de levantar a incidência de lesões do Nervo Abducente (VI Nervo Craniano) em Neoplasias Encefálicas e, também, promover uma breve revisão anatômica do referido par craniano. Método: Para tanto, realizamos uma revisão retrospectiva em 150 prontuários de pacientes operados com Neoplasias Encefálicas entre os anos de 2008 e 2018 na Policlínica Pato Branco/PR e, uma revisão anatômica, do nervo craniano estudado, na literatura médica. Resultado: O trabalho demonstrou a presença de paralisia do VI nervo craniano em 8% dos casos (12 pacientes). Conclusão: O conhecimento do estrabismo convergente, como possível consequência de hipertensão intracraniana decorrente de neoplasia encefálica, pode ajudar no diagnóstico ou ao menos deve apontar para uma investigação mais detalhada.


Palavras-chave


Estrabismo convergente; Nervo abducente; Semiologia

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


APOIO

 

 

Revista Brasileira de Neurologia e Psiquiatria. ISSN: 1414-0365