ANÁLISE DOS NÍVEIS DE CORTISOL SALIVAR EM PACIENTES COM ESCLEROSE MÚLTIPLA

Valéria Matiello, Bárbara Lúcia Pinto Coelho, Henry Koiti Sato, Marcelo Constantino Assumpção, Magda Oliveira Clemente

Resumo


Introdução: A Esclerose Múltipla (EM) é uma doença autoimune neurodegenerativa que afeta o sistema nervoso central (SNC), com característica desmielinizantes. Devido à fase de adaptações realizadas no cotidiano, geralmente no período da tarde, existe a possibilidade do aumento do hormônio cortisol, hormônio ligado diretamente ao estresse e concomitantemente uma piora na qualidade de vida dos portadores. Foi feito um estudo experimental, analisando o cortisol da tarde, pelo método de coleta salivar com o valor de referência <0,252 µg/dL, em dois grupos de pacientes, 40 na forma remitente recorrente  (EMRR) e 21 em forma progressiva primária e secundária EMP (EMPP/EMSP)  no Instituto de Neurologia de Curitiba (INC). Em conjunto com a coleta de saliva foi aplicado, um questionário sócio científico para caracterizar a amostra e um de qualidade de vida WHOQL-BREF, de forma a observar a qualidade de vida dos portadores devido ao estresse. Objetivo: Este estudo teve como objetivo dar enfoque entre o grupo EMRR e EMP, qual possui uma qualidade de vida baixa e níveis de cortisol alterados devido ao estresse, causado pelas dificuldades acarretadas pela doença e enfatizar a necessidade do monitoramento dos níveis de cortisol. O estudo só foi iniciado após a aprovação do Comitê de Ética e Pesquisas do INC, sob o número 83717718.8.0000.5227.


Palavras-chave


Esclerose Múltipla; Cortisol salivar; Qualidade de vida

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


APOIO

Revista Brasileira de Neurologia e Psiquiatria. ISSN: 1414-0365