A NEUROCIÊNCIA DAS ALUCINAÇÕES AUDITIVAS

Nelcilene Santana Nobre, Sabrine Cortiana, Antonio de Souza Andrade Filho

Resumo


A alucinação é uma distorção da percepção sensorial com as mesmas qualidades de uma percepção real, mas sem estimulação externa de um órgão sensorial. Estima-se que aproximadamente 60% a 70% dos portadores desse transtorno e em outras psicopatologias a tenham como sintoma, apesar de sua forte associação com a esquizofrenia, muitos estudos têm demonstrado que a alucinação auditiva pode também ser mensurada na população não psiquiátrica com índices muitas vezes maior do que todos os transtornos psicóticos combinados. As tecnologias da neuroimagem têm sido bastante utilizadas em uma tentativa de compreender as regiões cerebrais e os circuitos envolvidos na gênese das alucinações, e pacientes com esquizofrenia tem sido estudado com mais freqüência. O presente artigo tem como objetivo uma revisão bibliográfica sobre como a neurociência têm ajudado no processo de descoberta dos processos que envolvem as alucinações auditivas. Conclui-se que os dados de neuroimagem têm confirmado a expectativa de que as alucinações envolvem mudancas na atividade dos circuitos neurais conhecidos por estar envolvidos na audicao normal, liguagem e seu controle, porém a grande questão da forma como esta atividade alterada surge, ainda permanece sem resposta.


Palavras-chave


Neurociência; Alucinações; Auditivas

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


APOIO

 

 

Revista Brasileira de Neurologia e Psiquiatria. ISSN: 1414-0365