PERFIL EPIDEMIOLÓGICO E CLÍNICO DE PACIENTES COM HEMORRAGIA SUBARACNÓIDEA ESPONTÂNEA EM HOSPITAL PÚBLICO DE REFERÊNCIA EM EMERGÊNCIA DO MARANHÃO

Railson Miranda Gomes Júnior, Vitor Gennari Marques da Costa, Edem Moura de Matos Junior, Rossana Vanessa Dantas de Almeida Marques

Resumo


Objetivo: Analisar o perfil epidemiológico e clínico de pacientes diagnosticados com hemorragia subaracnóidea espontânea (HSA) em um hospital público de referência no estado do Maranhão. Metodologia: Estudo quantitativo, descritivo e transversal, realizado com pacientes diagnosticados com HSA espontânea em hospital terciário de Imperatriz-MA, entre 2018 e 2019. Quarenta e cinco indivíduos foram avaliados pela a análise dos prontuários e formulário de perguntas respondidas pelos próprios pacientes e/ou familiares. Os dados obtidos foram processados no programa Statistical Package for Social Sciences (versão 25.0). Resultados: A idade dos pacientes variou de 28 a 91 anos, com média de 58,7 (±17,15) anos, predomínio do sexo feminino (84,4%). Quanto à etnia, 57,8% eram pardos e 20% negros. Dentre os fatores de risco associados a HSA, verificou-se que 68,9% possuíam diagnóstico de Hipertensão Arterial Sistêmica, 71,1% se declararam fumantes e/ou ex-fumantes. A cefaleia em trovoada foi referida por 84,4% dos pacientes. Dos pacientes avaliados 57,8% foram internados com um ECG 14 -15. A maioria (37,8%) apresentou Hunt-Hess de valor III seguido pelo valor II (33,3%). Na escala de Fisher prevaleceu a pontuação III em 60% dos entrevistados, acompanhado pelo Fisher IV com 17,8%. Além disso, a maior parte (37,8%) deles foi admitido com WFNS I. Conclusão: A HSA predominou em mulheres, população não caucasiana, com maioria possuindo histórico de tabagismo, a hipertensão arterial foi a comorbidade mais prevalente. A cefaleia em trovoada foi o sintoma mais comum observado. Predominou ECG 14-15, WFNS I, graduação clínica de Hunt-Hess III e graduação tomográfica de Fisher grau 3.


Palavras-chave


Hemorragia subaracnóidea; Cefaleia; Acidente Vascular Cerebral; Epidemiologia

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


APOIO

Revista Brasileira de Neurologia e Psiquiatria. ISSN: 1414-0365