INFEÇÕES NUM INTERNAMENTO DE PSIQUIATRIA

Patrícia Jorge, Jorge Carvalheiro, Luísa Delgado

Resumo


Introdução: As infeções em enfermarias médicas e cirúrgicas têm sido alvo de vários estudos nos últimos anos. No entanto, dados em internamentos de psiquiatria são escassos. O objetivo deste trabalho é descrever e analisar as infeções ocorridas num internamento de agudos, num serviço de Psiquiatria de um hospital público. Material e métodos: Estudo retrospetivo incluindo todos os doentes admitidos no internamento do serviço de psiquiatria entre janeiro de 2017 e setembro de 2018.  Resultados: Dos 826 internamentos, 84 doentes foram diagnosticados com quadros infeciosos, correspondendo a 10,17%. A infeção mais frequente foi a do trato urinário seguida do trato respiratório. A idade do doente e o número de dias de internamento não tiveram uma relação estatisticamente significativa com o facto do doente infetar ou não. O diagnóstico sindromático de agitação aquando o internamento relacionou-se com o facto de um doente infetar. Doentes com perturbações mentais orgânicas infetaram mais durante o internamento.Discussão: As infeções associadas aos cuidados de saúde são um dos eventos adversos mais frequentes nos doentes internados em hospitais. Hipóteses como a teoria neuroinflamatória das demências e o risco de infeção com uso de psicofármacos devem ser colocadas. Conclusões: 10% dos doentes internados numa enfermaria de psiquiatria sofreram infeções. Os doentes com maior suscetibilidade a sofrer das mesmas são os que sofrem de quadros mentais orgânicos e os que são internados por quadros de agitação. É importante adotar medidas de prevenção e controlo de infeção, de baixo custo e efetivas, como a lavagem das mãos.


Palavras-chave


Psiquiatria; Perturbações Mentais; Infeção; Internamento

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


APOIO

Revista Brasileira de Neurologia e Psiquiatria. ISSN: 1414-0365