PERFIL FARMACOLÓGICO DA OPICAPONA EM PACIENTES COM DOENÇA DE PARKINSON SOB TRATAMENTO COM LEVODOPA

Bruno Jose Dumêt Fernandes, Antonio Sousa Andrade Filho

Resumo


A doença de Parkinson (DP) é uma doença progressiva, neurodegenerativa, caracterizada por rigidez, tremor, bradicinesia e instabilidade postural, secundária ao déficit dopaminérgico no sistema nigroestriatal. A Opicapona é indicada Como terapia adjuvante junto à levodopa e inibidores da enzima periférica L-aminoácido aromática descarboxilase (LD/AADC), para pacientes adultos com DP e flutuações motoras, que não são controlados com essa terapia. A OPC é um novo inibidor da catecol-O-metiltransferase (COMT) que reduz, significativamente, a sua atividade, aumenta a exposição sistêmica à levodopa e melhora a resposta motora do paciente. Esse estudo tem como objetivo revisar as propriedades farmacológicas da Opicapona, apresentar os estudos pré-clínicos e clínicos e discutir seu potencial papel no tratamento da DP. CONCLUSÕES: Opicapona é recomendada para os pacientes sob terapia com levodopa com sinais de flutuações motoras. A dose recomendada de opicapona é de 50mg uma vez ao dia, administrada à noite, pelo menos 1h antes ou após a administração da levodopa.


Palavras-chave


Opicapona; Doença de Parkinson; Levodopa; Inibidores da COMT

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


APOIO

 

 

Revista Brasileira de Neurologia e Psiquiatria. ISSN: 1414-0365