ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO: REVISÃO SISTEMÁTICA SOBRE QUALIDADE DE VIDA E SOBRECARGA DE CUIDADORES

Angélica de Godoy Torres Lima, Kátia Cristina Lima de Petribú

Resumo


Introdução: Um terço dos doentes que sobrevivem ao acidente vascular encefálico agudo permanece com incapacidade importante e 10% necessitam dos cuidados de terceiros, em geral o cuidador familiar, que necessita se adaptar à nova rotina, acompanhada por outras dificuldades como as econômicas, as estruturais e a necessidade de apoio. Objetivo: identificar quais os fatores que estão relacionados a alterações da qualidade de vida e aumento da sobrecarga de cuidadores de pessoas com sequelas pelo acidente vascular cerebral. Métodos: revisão de literatura sistematizada realizada através da busca do banco de dados do MEDLINE nos últimos 10 anos, de 2003 a 2013, utilizando-se os descritores: “burden”, “quality of life”, “caregiver”, “stroke”. Foram encontrados 412 artigos, dos quais foram selecionados 12 para construção da revisão por duas avaliadoras de forma independente. Resultados: ser cuidador está associado a pior qualidade de vida e maior sobrecarga psicológica e cerca de 50% a 55% sofre algum tipo de estresse emocional. Conclusão: sobrecarga e qualidade de vida do cuidador de pacientes com acidente vascular encefálico devem ser investigadas pelos profissionais de saúde desde que têm repercussões no cuidado ao paciente.


Palavras-chave


Acidente vascular cerebral; Qualidade de vida; Sobrecarga; Cuidadores

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


APOIO

 

 

Revista Brasileira de Neurologia e Psiquiatria. ISSN: 1414-0365